NOTA DE REPÚDIO

NOTA DE REPÚDIO

 

A ASSOCIAÇÃO ESPÍRITO-SANTENSE DO MINISTÉRIO PÚBLICO (AESMP) vem a público se manifestar sobre a “Carta Aberta” escrita e postada pela pessoa de Luciana Fernandes em sua rede social do Instagram, aberta para consulta pública, na qual imputa suposta conduta preconceituosa, temerária e arbitrária a uma Promotora de Justiça por ela não identificada (https://www.instagram.com/p/Cdn90i2O8cL/?igshid=YmMyMTA2M2Y=).

Segundo o seu texto, a Promotora de Justiça teria determinado uma abordagem policial que teria sido cumprida por policiais armados, mediante gritos e ordens de abertura de todas as portas do carro e de afastamento do mesmo. Das afirmações ditas nesta carta aberta, é possível ainda ver alguns comentários maldosos proferidos por outras pessoas.

Em primeiro lugar, é importante registrar que a AESMP não apoia atitudes preconceituosas, temerárias e arbitrárias, quer sejam praticadas por seus associados, por policiais ou por qualquer articular, passíveis de devida apuração.

Entretanto, percebe-se que a Carta Aberta de indignação da pessoa de Luciana Fernandes, talvez movida por intensa emoção, comete grave dano contra a honra de uma associada da AESMP, que está há mais de 16 anos neste cargo, servindo à população espírito-santense e honrando com o seu mister de forma irrepreensível.

A verdade sobre os fatos, que será oportunamente demonstrada, é que, diante de uma atitude suspeita envolvendo um carro que não possibilitava a identificação de integrante(s), houve somente uma comunicação à Polícia Militar sobre o ocorrido, diante do sentimento de temor de todas as pessoas que se faziam ali presentes, até em razão do alto índice de criminalidade e de violência social que se vivencia atualmente, o que é facultado a qualquer cidadão. Nada mais do que isto.

Todo o restante do relatado nesta “Carta Aberta” em nada tem a ver com a conduta da associada, sendo a relação estabelecida no texto uma imputação inverídica, que atenta contra a sua honra.

É muito oportuno esclarecer que, em mais de 16 anos de atuação do Ministério Público do Estado do Espírito Santo, esta associada nunca respondeu a um processo administrativo ou criminal, tendo reconhecimento público da sua atuação contra o crime e na defesa da ordem jurídica e da sociedade.

Neste sentido, a Associação Espírito-Santense do Ministério Público (AESMP) manifesta o seu repúdio às afirmações feitas pela pessoa de Luciana Fernandes, assim como às demais feitas nos comentários que seguiram à postagem, apoiando a associada envolvida, que em toda a sua carreira sempre agiu com responsabilidade, compromisso e ética.

 

Vitória-ES, 16 de maio de 2022.

 

PEDRO IVO DE SOUSA

Presidente da AESMP



COMPARTILHE:

Ultimas Notícias: